Coordenação Científica 2020-2022

Coordenadores:

Ricardo Carlino – Coordenador científico titular (APdeBA-SPM)
Samantha Nigri – Coordenadora científica adjunta (SBPRJ)

Membros da Comissão Científica:

Oscar A. ElviraAs. Psic. de Buenos Aires (APdeBA)
Lorena PoloSoc. Psic. México (SPM) (OCAL)
Eva Gabriela SalazarSocia directa de IPA (ILAP)
Gabriela Calvo – As. Psic. Uruguay (APU)
Denise Goldfajn – Soc. Bras. Psi. São Paulo (SBPSP)
Rosane MullerGrupo Estudios Psic. Fortaleza (GEPFOR)
Miriam Rudaeff As. Psic. de Buenos Aires (APdeBA) (OCAL)
Rosa SeifartAs. Psic. de Asunción (ApdeA)
Natalia Mudarra Soc. Psic. de Panamá (SPP) (OCAL)
Dinora Borges Rodrigues MarcevichSoc. Psic. Recife (SPR)
Mirta Goldstein As. Psic. Argentina (APA)
Ximena PalabeAs. Psic. Uruguay (APU) (OCAL)
Ana Velia Vélez de Sanchez Soc. de Psic de Brasilia (SPBsb)
Maridel Haydee Canteli Soc. Argentina de Psicoanálisis (SAP)
Adela Escardó de la Fuente Soc. Peruana de Psicoanálisis (SPP)

Panorama atual da Comissão Científica (2020-2022)

Em Reflexões para os tempos de guerra e morte (1915), em meio ao terreno incerto e aterrorizante da primeira grande guerra, Freud descreveu e refletiu sobre dois dos fatores que seriam responsáveis pela intensa aflição mental vivenciada naqueles tempos de grandes mudanças, rupturas e perdas em diversos aspectos da realidade até então vigente. Seriam esses dois fatores: A desilusão causada pelas guerras e as modificações de nossa atitude diante da morte que estas proporcionam.

Esta reflexão nos traz possibilidades e um norte para pensar o clima de desilusão que a pandemia da COVID-19 provocou em todo o planeta, colocando em evidência singular não só o desamparo humano diante da morte como também as fragilidades de nossa constituição social, ressaltando as crises humanitárias e ambientais que se desenvolvem há décadas, descompassadamente.

Como panorama de fundo em nosso trabalho na comissão científica procuraremos acompanhar e promover espaços de estudo e trocas científicas entre os colegas das diversas instituições de nossa federação, junto do diálogo contínuo com outros saberes, para que possamos contribuir com o contato e com o cuidado do sofrimento emocional em nossos tempos. Tempos em que os psicanalistas, inseridos e atingidos como habitantes do planeta Terra também foram convocados a lidar com a desilusão proveniente do desmonte de uma visão de mundo, onde até então, seu ofício era delimitado por determinadas coordenadas mais conhecidas.

Nesse mesmo texto Freud conclui que a vida poderá ser mais tolerável, se dermos a ilusão da imortalidade que nos permite tolerá-la um lugar mais verdadeiro, com a célebre frase: Se queres suportar a vida, prepara-te para a morte.[i] A Psicanálise, nesse momento histórico de tantas desilusões, precisa se voltar para uma de suas mais belas heranças: A capacidade de ampliar seu estofo teórico-clínico a partir da ousadia e da busca constante de novas formas do psicanalisar desenvolvendo a clínica em interação constante com a realidade social, política e histórica onde ela se insere. Em nosso projeto, seguiremos o caminho indicado por Freud e acrescido por todos os que contribuíram para o desenvolvimento de nosso ofício. Tomando a frase acima citada e adaptando-a para a construção de nosso projeto de trabalho, afirmamos que é preciso suportar a finitude de certas ideias para que possamos tolerar a gestação de novas ou a transformação evolucionária do que foi dito acima, em sintonia com o mundo que por ora vivemos.

Em nossa comissão contamos com um grupo de 15 colegas dos muitos cantos de nossa América Latina, que estão se reunindo semanalmente para elaborar encontros científicos que proporcionem espaços onde se possa dar voz a todos os modos de inserção psicanalítica na atualidade, levando em consideração o aporte acrescido pela realidade da pandemia, que amplificou ainda mais os diferentes enquadres e promoveu o exercício de uma investigação mais apurada da técnica psicanalítica, com novas possibilidades de alcance tanto para os que exercem a psicanálise como para quem a experimenta como tratamento.

Para promover esse espaço de trocas teórico-clínicas, estamos preparando encontros ao longo deste ano, em forma de diferentes webnarios através de plataformas, que reconheçam esse novo formato on line não como um substituto dos encontros presenciais (estes, esperados para quando este período pandêmico arrefecer) e sim como um espaço diferente de reflexões psicanalíticas, reconhecendo os seus limites e a partir deles, a sua riqueza. Em breve divulgaremos o calendário de eventos.

Estamos também programando reuniões com todos os coordenadores científicos da nossa federação com o intuito de escutar e aproximar no que for possível as realidades e demandas vividas por todos.  

Nesse mesmo caminho, realizaremos reuniões com os diretores dos institutos de nossas sociedades. A data desses encontros ainda será marcada.

Estamos também em vias de encontrar o tema para o congresso da FEPAL que está programado para acontecer em setembro de 2022. Por conta de estarmos atravessando tempos tão movediços, optamos por observar melhor o andamento da pandemia e suas consequências no mundo para nomear definitivamente o tema. Neste período enviamos uma consulta para todos os presidentes das instituições FEPAL para a partir dela, guiarmos a nossa escolha.

Como psicanalistas que somos, utilizaremos a incertitude que nos acompanha tão vividamente neste momento, como aliada para encontrar o terreno fértil para a produção de um pensamento psicanalítico pulsante e promovedor de novos caminhos e oportunidades emocionais para todos: analistas e analisandos.

Conforme formos avançando em nossos projetos, daremos mais notícias.

Seguimos como estímulo, as palavras de nosso coordenador  Ricardo Carlino: Adelante, no te pares, que caminando se va más adelante!

Saludos a todos,

Samantha Nigri, pela Comissão Científica

(Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro – SBPRJ)

Coordenadora Científica Adjunta

Fevereiro de 2021


[i] Freud, S. Reflexões para tempos de guerra e morte, in Edição Standart Brasileira das Obras Completas de Sigmund freud, Volume XIV, p.311. Imago Editora LTDA, Rio de Janeiro.

Sociedad Iberoaméricana de Salud Mental en Internet

Código de Ética de SISMI

Federación Psicoanalítica de América Latina.
Está en conformidad con el Código de Ética de SISMI
Nº de Acreditación: 54079 | Fecha de Acreditación: 2 de Septiembre de 2011

SEDE PERMANENTE

LUIS B. CAVIA 2640 APTO. 603
MONTEVIDEO 11300, URUGUAY
INFO@FEPAL.ORG
TEL. / FAX: (598 2) 707 5026
WhatsApp: +598 92 19 19 99

X