Definido o tema do Congresso 2020: Fronteiras

Agradecendo a abundante resposta à convocatória que fizemos em setembro de 2018 às sociedades componentes da Fepal e aos membros da OCAL, com o fim de reunir inquietações e interesses orientados à realização de nosso congresso, temos a satisfação de comunicá-los que já temos o título do congresso FEPAL 2020: FRONTEIRAS.

Convidamos a posicionar o conceito fronteiras como um território de acontecimentos, de complexidade, entrecruzamentos e interfaces, desvelando o que pulsa em seus interstícios, no entre, sempre mutante, no desenho ou no desdesenho de formas, entidades e subjetividades. Fronteiras móveis e efêmeras, produzindo mestiçagens e hibridizações, que nos conduzem, cada vez mais, à ideia de que o ser humano é um ser de fronteiras.

Partimos de uma psicanálise latino-americana, hóspede e anfitriã, em e a partir da fronteira, pensando através da intertextualidade e da extraterritorialidade. Em uma postura de abertura aos debates entre a psicanálise enquanto leitora e texto do laço social e as demais manifestações da cultura. Uma psicanálise que  permita a comunicação fértil com a amplitude de disciplinas, problemáticas e discursos que nos atravessam.

Que podemos dizer nós, analistas, a partir do horizonte da nossa época e da dimensão marginal das nossas práticas? O que questionamos da clínica e das nossas teorias, como psicanalistas mestiços, estrangeiros e imigrantes?

Propomos pensar as fronteiras do psiquismo e do corpo que habitamos. A diversificação da sexualidade e do gênero. O lugar do corpo na atualidade.  Biopolítica e psicanálise.

Fronteiras entre o sujeito e o outro. Semelhante ou inimigo? O ser estrangeiro, imigrante, refugiado ou mestiço no século XXI. O laço social em tempos de violência, globalização e
pós-verdade. Psicanálise e política na América Latina.

Fronteiras que se tecem no intercâmbio cultural, social e tecnológico. Virtualidade e hiper-conectividade. Intimidade, vínculo e amor nas redes sociais. Nativos cibernéticos.

A psicanálise e o pós humanismo. A interconexão de todo o vivo. Diálogos interdisciplinares em torno da compreensão do humano. Novas subjetividades na era digital. A relação com a máquina e a inteligência artificial.

Fronteiras da analisabilidade que sacodem nossa clínica. Mal-estares da sociedade contemporânea. Outras leituras para novas patologias? A psicanálise ante a diversidade das ofertas terapêuticas.

Desejamos que este congresso seja um acontecimento transformador para todos nós.
Esperamos a todos de 22 a 26 de setembro de 2020, em Montevidéu, Uruguai.

Elizabeth Chapuy
Directora Científica

Helena Surreaux
Directora Científica Suplente

Comisión Científica
Herrmann, Leda – Brasil – SBPSP.
Rodríguez, Cecilia – México – ApdeG.
Silva, María Luisa – Perú – SPP.
Zulian, Mauricio – Argentina – APA.
Press, Sandra – Uruguay- APU

Sociedad Iberoaméricana de Salud Mental en Internet

Código de Ética de SISMI

Federación Psicoanalítica de América Latina.
Está en conformidad con el Código de Ética de SISMI
Nº de Acreditación: 54079 | Fecha de Acreditación: 2 de Septiembre de 2011

SEDE PERMANENTE

LUIS B. CAVIA 2640 APTO. 603
MONTEVIDEO 11300, URUGUAY
INFO@FEPAL.ORG
TEL. / FAX: (598 2) 707 5026
WhatsApp: +598 92 19 19 99

Leia Mais
La Resiliencia: esa posición subjetiva ante la adversidad