Coordenação Científica

PLATAFORMA 2020-2022

PRESIDIDA POR: RICARDO CARLINO E SAMANTHA NIGRI
LISTA PRESIDIDA POR: ANDRÉS GAITÁN e DALIA GUZIK

Em setembro haverá eleições para renovar o Conselho de Administração da FEPAL. Votarão os atuais Presidentes das instituições componentes da FEPAL.

Na lista presidida por Andrés Gaitán González, ex- Presidente da Sociedade Psicanalítica do México (SPM), eu, Ricardo Carlino, Membro Titular (sócio Vitalício) da Associação Psicanalítica de Buenos Aires (APdeBA) e Membro Titular da Sociedade Psicanalítica do México,
ocupo o lugar de Coordenador Científico Titular e Samantha Nigri, da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ) como Coordenadora Científica Suplente.

De 2005 até o presente momento muitos membros das instituições da FEPAL tiveram a oportunidade de ler meus trabalhos publicados em diversas revistas psicanalíticas
(Calibán Revista Latino Americana de Psicanálise entre outras) e em todos os Congressos da FEPAL. O mesmo se ocorreu nos Congressos internacionais da IPA, de 2009 até hoje.

Tenho livros pioneiros sobre o assunto: DISTANCE PSYCHOANALYSIS (Ed. Lumen, Bs As. 2010) e DISTANCEPSYCHOANALYSIS (Karnac Book, London, 2011) publicados e também escrevi capítulos de uma coleção de livros em inglês de Jill Scharff: PSYCHOANALYSIS ONLINE I; II; III.
(Karnac, London).

Os psicanalistas devem preservar um espaço interno que abrigue sempre um analista em permanente formação, a serviço do lento e interminável processo de hominização.
A psicanálise é convocada a ocupar um lugar digno na orquestração multidisciplinar interessada em atender às atuais neo-necessidades de desenvolvimento humano
e social. A partir da Coordenação Científica da FEPAL procurarei promover e estimular a ampliação de seus objetivos.

Estamos preocupados com as novas realidades que emergem desta fase pandémica e pós-pandêmica, que batem à porta da Psicanálise para que esta possa atendêlas. Faz-se necessário promover um estudo reflexivo de novos modelos de implementação psicanalítica que
consigam abranger outros estratos da população. O atual destina-se ao consultório particular de pessoas que dispõem de recursos para arcar com as suas despesas.

A necessidade de assistência preventiva e/ou terapêutica tem aumentado devido ao aumento do desconforto entre os familiares e à perda do convívio social, profissional e escolar diário. É por isso que o modelo clássico e o habitual encontram limites de aplicação para as necessidades que
surgem neste tempo de crise e muitas transformações.

Devemos enriquecer a nossa formação para poder contribuir com instituições educacionais, hospitalares, judiciais e outras, ampliando nossa fecundidade, criando e utilizando instrumentos em diferentes formatos, alguns deles já testados e outros novos a serem criados.

Nossa experiência já adquirida em trabalhar através de Plataformas de Comunicação abre um leque de possibilidades operacionais, além da distância geográfica. Economizar em traslados e hotéis abre a possibilidade de aumentar a frequência de trocas entre colegas e instituições que é necessária sem o gasto econômico que isso implicava anteriormente.

A partir de agora, os Congressos Internacionais devem conter duas possibilidades de participação: presencial e por meio de plataformas de comunicação. Desse modo, a participação é democratizada, pois é possível garantir que ela estará à disposição de todos os que queiram
participar. Reconhecendo que a comunicação mediada por plataformas comunicativas vislumbra uma maior aceitação e efetivação, tanto na clínica como na vida institucional psicanalítica pretendemos estabelecer uma maior comunicação para fortalecer os laços acadêmicos e sociais entre psicanalistas, continuando a valorizar os encontros presenciales quando podem ser realizados no período pós-pandêmico. Observa-se que a comunicação
online produziu aprendizagens. que modificarão a frequência dos encontros presenciais ao alternar com as comunicações cibernéticas. Os modos online vieram para ficar e, sem dúvida, influenciarão o ritmo e a frequência das reuniões de intercâmbio até agora, apenas presneciales.
Observar e contribuir para a discussão desse porvir será uma tarefa importante, seguindo a tradição freudiana da Psicanálise se desenvolver a partir da clínica e das viscissitudes que a cercam.
É a partir desse novo e diferente panorama de intercâmbio que, FEPAL, se promoverá o estudo das duas línguas latino-americanas para que se modifique o atual limite de intercâmbio e leitura entre os psicanalistas latino-americanos.

Trabalharei com uma equipe de 8 (oito) representantes do norte, centro e sul da América Latina. Quando necessário, convocarei analistas de destaque da FEPAL para consultá-los em situações específicas em que sejam considerados experts.

É isso que proponho.

Quem me conhece e me viu propor, promover e organizar, conhece a estreita relação entre os meus propósitos e a sua concretização.

Ricardo Carlino
27 de agosto de 2020

Sociedad Iberoaméricana de Salud Mental en Internet

Código de Ética de SISMI

Federación Psicoanalítica de América Latina.
Está en conformidad con el Código de Ética de SISMI
Nº de Acreditación: 54079 | Fecha de Acreditación: 2 de Septiembre de 2011

SEDE PERMANENTE

LUIS B. CAVIA 2640 APTO. 603
MONTEVIDEO 11300, URUGUAY
INFO@FEPAL.ORG
TEL. / FAX: (598 2) 707 5026
WhatsApp: +598 92 19 19 99