Comitê de Políticas Públicas da Coordenação de Crianças e Adolescentes da FEPAL

Partimos da plataforma de trabalho da coordenação de Crianças/Adolescentes da FEPAL, durante a gestão 2018/2020, que considera que na América Latina cada país apresenta sua cultura própria, mesmo carregando em comum o fato de termos sido colonizados e aculturados por povos europeus, que aportaram seus costumes e geraram a mestiçagem latino-Americana e que tem como ideal a branquitude. Somos constituídos por uma mistura de negros, índios e brancos, portanto, em certa medida, “impuros”.

Conseguimos aproveitar o que temos de mais genuíno de nossas experiências culturais, através de teorias, produções e vivências, realizando uma antropofagia sustentável? Sabemos que na America Latina temos crianças e jovens bastante diversificados que se apresentam como foco de atenção. Demandam um leque de ações, desde o exercício clínico praticado em nossos consultórios privados, até o olhar e intervenção extra muros.

Um  número expressivo de crianças na América Latina ( mais de 50 milhões até a idade de 17 anos ) vive em estado de pobreza, miserabilidade. Encontramos crianças nas ruas, desnutridas, fora da escola ou institucionalizadas. Fala-se da pobreza infantilizada, porque geralmente são as crianças o foco de maior sofrimento nestas situações. Tal fato requer uma atenção especial a esta população jovem excluída, cuja subjetivação sofre efeitos devastadores.

Entre os Dispositivos de Trabalho para fazer frente a esses desafios foi criado o Comitê de Políticas Públicas com o objetivo de construir uma rede de contatos latino-americana, compondo um espaço de interlocução com áreas afins à Psicanálise, para produzir saberes e propor ações relevantes na luta pelo reconhecimento das populações historicamente prejudicadas, tendo como foco as crianças e adolescentes.

Formamos um grupo que tem se reunido ao longo deste ano de 2019, mensalmente, pela internet e que no momento está composto pelos seguintes colegas:Maria Elisabeth Cimenti(Coordenadora de Crianças e Adolescentes da FEPAL, Brasil), Alice B. Lewkowicz (coordenadora do CPP, Brasil), Fernando Orduz (Colombia), Joyce Goldstein (Brasil), Magda Khouri (Brasil), Nora Vinacur (Argentina), Carmem Rogriguez (Uruguai).

Pretendemos organizar um espaço de debate no Simpósio de Infância e Adolescência durante o próximo Congresso da FEPAL que acontecerá em 2020, em Montevidéu, com o objetivo de promover trocas e experiências entre os colegas envolvidos no trabalho nestas áreas críticas de cada região.

Estamos aproveitando essa oportunidade para divulgar este Comitê de Políticas Públicas com o objetivo de receber sugestões e/ou encaminhamentos que vocês considerarem relevantes para que esta tarefa possa atingir seus objetivos da forma mais abrangente possível.

Contamos com as sugestões de todos !!!

Alice Becker Lewkowicz(coordenadora do CPP)

Meu e-mail:aliceblew@gmail.com       

Sociedad Iberoaméricana de Salud Mental en Internet

Código de Ética de SISMI

Federación Psicoanalítica de América Latina.
Está en conformidad con el Código de Ética de SISMI
Nº de Acreditación: 54079 | Fecha de Acreditación: 2 de Septiembre de 2011

SEDE PERMANENTE

LUIS B. CAVIA 2640 APTO. 603
MONTEVIDEO 11300, URUGUAY
INFO@FEPAL.ORG
TEL. / FAX: (598 2) 707 5026
WhatsApp: +598 92 19 19 99

Leia Mais
Psicoanálisis más allá del diván